Cristalizações

Olá. Depois de um intervalo no dia 7 de setembro, seguimos com as postagens.

Hoje vamos avançar mais um pouco, apresentando o conceito de cristalização, que depois vai se somar aos conceitos de distanciamento e de ciclos.

Proponho uma figura bem simples, quase infantil:


A pessoa tenta ficar dentro da sua Esfera, dali enviando seu "querer" para o meio exterior. Na superfície da Esfera, encontram-se pequenas ou grandes cristalizações, que prejudicam essa expansão do "querer". Como se fossem nódulos duros de algo que poderia ser bem mole, bem flexível. Ocorre-me uma semelhança quando a gente faz gelatina e ela "empedra".

No entendimento das Esferas, a cristalização foi construída pelo seu piloto. Quando? Nas ocasiões em que esse piloto fez alguém sofrer. Quando causou sofrimento. Pronto, cristalizou. E vai dificultar muito a utilização da Esfera, causando muitas vezes a expulsão do piloto, conforme descrevi no livro.

As cristalizações podem aumentar, caso o piloto provoque mais sofrimento. Por isso a Esfera tem um mecanismo de travar e expulsar o piloto antes que ele ou ela cause mais sofrimento. Pois é iniciada uma cristalização, travando o circuito. É assim que as Esferas foram construídas.

Poderíamos inventar um processo de descristalizar a Esfera? Penso que não, porque a cristalização é provocada pela pessoa que pilota a Esfera. A descristalização teria que ser o efeito de uma mudança de atitude ou de mudança de hábito da pessoa que pilota aquela Esfera.

Por isso a busca por pilotos que teriam baixas chances de provocar cristalizações nas Esferas. No livro, eu não explorei o assunto com tantos detalhes quanto estou fazendo aqui.

Abraços, e até a próxima!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog